Novas oportunidades de jornada: inovações da reforma trabalhista

August 31, 2018

 

Empreender no Brasil, infelizmente, se constitui em verdadeira aventura. Altos custos, insegurança jurídica, política e urbana, tributação exacerbada e dificuldades na gestão de pessoal são realidade à todos aqueles que têm a coragem de criar o próprio emprego e ser dono de seu negócio.

 

Na rotina de advogado empresarial, auxiliamos inúmeras empresas dos mais variados ramos de atividade a organizar suas escalas, salários, benefícios e demais rotinas trabalhistas de modo a minimizar estes impactos, em especial na redução de exposição à riscos.

 

Uma das exposições mais potencializadas é a organização equivocada dos horários de trabalho, acabando por, mesmo com o pagamento correto de horas extras, não observar intervalos de descanso e alimentação ou limites máximos de jornada, gerando multas por vezes elevadas.

 

A reforma da legislação ocorrida em 2017 veio a criar oportunidades de gestão interessantes, em especial no que se refere à escalas de compensação. 

 

Dentre estas oportunidades, está a adoção concomitante de regime de escala com o pagamento de horas extras  - antes não bem aceito pelo Judiciário - e a possibilidade de compensação de horas extras dentro do mesmo mês, sem a necessidade de acordo com os sindicatos.

 

A lei também possibilita acordos individuais para a adoção de banco de horas de até seis meses e escala de doze horas de trabalho por trinta e seis de descanso, as 12x36 com a compensação automática de domingos e feriados. Em caso de negociação específica com os Sindicatos profissionais, o Banco de Horas pode ter duração de até um ano e o intervalo para alimentação e descanso pode ser reduzido para 30 minutos, com proporcional redução ao final da jornada.

 

É importante salientar que a implantação das oportunidades deve ser acompanhada de análise atenta às negociações coletivas da categoria econômica, já que algumas convenções limitam as inovações apenas para associados. 

 

É o caso do setor saúde, que nas regiões de Curitiba, Foz do Iguaçu, Cascavel e Paranaguá estabeleceu escalas e banco de horas sem necessidade de negociação de Acordo Coletivo específico apenas para associados do Sindicato patronal.

 

Gostaria de ler mais artigos? Clique aqui

Please reload

Featured Posts

Mudança de entendimento da Quarta Turma do STJ: Rol de Procedimentos da ANS é julgado como taxativo.

August 28, 2020

1/10
Please reload

Recent Posts
Please reload

Archive
Please reload

Search By Tags